Cristo no irmão

Objetivo: Ver no próximo a pessoa de Jesus Cristo.

Ação: Com no máximo 10 (dez) pessoas, forma-se uma fila, lado, a lado.
Depois, com um crucifixo de tamanho médio (1mt + ou - de altura), diz o
seguinte para que cada um faça: Dar um beijo na imagem de Jesus Cristo, na
parte em que mais te toca no coração! Feito isso, mandar o primeiro da fila
dar um beijo, no mesmo local que deu na imagem, na pessoa do seu lado
direito, seguindo adiante com o segundo beijando o terceiro, e assim por
diante, ate completar todos. Finalizado esta ação, passar uma mensagem
envolvendo estas palavras: humildade:
amor ao próximo; ou pedir para que
alguém, que participou da dinâmica, transmitir o que aprendeu.

 

Meu mundo interior

Material: Música de fundo e a sua imaginação.

 

· Todos devem fazer silêncio total.
· A sala deve estar apenas com a claridade de velas.
· Os participantes podem baixar a cabeça e fechar os olhos, ou cada qual pode ficar da maneira que se sentirem mais a vontade, devem concentrarem-se, entrando no clima da dinâmica, esquecendo de tudo, por alguns momentos, deixarem a mente totalmente limpa. É importante lembrar aos participantes, que não devem ficar tentando imaginar o que será feito nesta dinâmica, eles apenas devem manter a concentração em tudo o que o condutor da dinâmica estiver falando.
· Após o ambiente estar em condições
ideais, e todos já estiverem prontos, aí então, começa-se dinâmica.

· Começamos fazendo com que os participantes mentalmente criem um painel (da maneira que imaginarem), posterior a isto, vão pensar na família (Pai, Mãe, Irmãos enfim todos aqueles que convivem em seu lar) e tirar uma fotografia (mental) e colocar no painel, vão pensar em amigos, inimigos, namorado(a), enfim as coisas mais importantes da sua vida, fará um retrato mental e colocará no painel, sendo que o retrato mais importante virá por último (Cada um irá imaginar Jesus Cristo a sua maneira e o colocará no centro do painel) o condutor da dinâmica, com a luz do Espírito Santo, acrescentara com mais palavras e colocações.
· Com todos no painel, cada um pensará como é a convivência com todas essas pessoas, sabem agradecer, sabem pedir perdão, sabem perdoar, sabem reconhecer os erros, enfim como são as suas atitudes, e principalmente como é a sua convivência com Deus. (o condutor da dinâmica, com a luz do Espírito Santo, acrescentara com mais palavras e colocações)
· Após todos estarem refletindo sobre suas vidas, o condutor diz aos participantes: "imaginem agora seu cotidiano senta-se no seu trabalho, no seus estudos, com a sociedade. Imaginem-se na lida do dia a dia.
Conforme passam-se os dias, você começa a sentir sintomas estranhos em seu organismo, mas a princípio não liga. O tempo vai passando e os sintomas vão aumentando, e por fim decide ir ao médico.
Começa-se então uma série de exames, e terminados os mesmos você fica a aguardar. Até que chega o dia de ir ao consultório ver o resultado (Neste momento quem estiver a conduzir, vai dizer a todos para que imaginem entrando no consultório vendo a face do médico contraída) e eis que o mesmo não é dos mais satisfatórios, você descobre que está com uma doença
rara, e infelizmente não tem cura, e pra piorar você tem apenas 2 (duas) semanas de vida."

· E agora?
· E seus pais? seus irmãos? seus amigos? E aquelas pessoas que te magoaram e as que também tu magoaste, e que talvez por um orgulho não deste o perdão. E Jesus? O que fizeste para Deus em sua minha vida. Será que fez tudo o que ele lhe pediu ?
Meu Deus, e agora ?
O condutor da dinâmica, começa então a citar coisas que geralmente acontecem no dia a dia.
Ele diz: Você que algumas vezes reclamava da vida, agora se encontra com apenas duas semanas de vida. Quantas vezes você reclamou que sua vida era monótona
, e agora você se vê cheio de vontade de viver. Quantas não foram às vezes que você reclamou de sua casa, de suas roupas, de todas as suas coisas, e quantas não foram às vezes que você chegou em casa, e sua mãe com todo o amor e carinho havia preparado a refeição, e você olhava para a comida, e sem se importar com os sentimentos de sua mãe você reclamava. Quantas vezes seu pai lhe dava conselho para o seu próprio bem em você não aceitava, fazia tudo errado, e seu pai e sua mãe ficavam tristes e magoados, porque eles te amam, e você não se importa com eles. E seus irmãos que você nem da bola, vive brigando, xingando, e agora? Como fazer para dizer a eles que no fundo, você os ama.
E seus amigos, você agiu realmente como amigo deles. E aquelas pessoas que você magoou, ou que te magoaram, e aí; você gostaria de reconciliar-se, é aconselhável que sim, pois você tem tão pouco tempo de vida, e não quer morrer sem pedir e sem dar o perdão. E o mais importante, Deus, você não tem o que acertar com Deus? Você
deu a Deus a chance de participar de sua vida.
E agora? Será que dá tempo de concertar todos esses desacertos em sua vida? O condutor pode acrescentar mais situações e ações.

· No final (após um grande período de reflexão) pede-se para mentalizar o painel novamente, olhar cada pessoa ali colocada e principalmente a Jesus que cada um imaginou à sua forma, fazerem todos refletirem o quanto é bom viver e que hoje nós não temos duas semanas, mas uma vida inteira pela frente, se pisamos na bola várias vezes, porque então não começamos hoje mesmo a mudar isso? Pois temos saúde, e uma vida, louve a Deus por isso,
· Após esta forte reflexão faz-se então grande oração pedindo a presença de Jesus e do Espírito Santo. Detalhe: o
condutor terminará esta dinâmica da maneira que quiser, mas o importante é que toque fundo no coração das pessoas e que as faça refletir.

 

A CEBOLA

 

Objetivo: Mostrar que a palavra de Deus, apesar de dura, ilumina nossa vida.

Número de Pessoas: Indiferente

Materiais: Uma cebola; Uma faca pequena; Tiras de papel.

 

Como Fazer: O animador forma um círculo com os participantes e distribuí uma tira de papel para cada um contendo uma frase forte da Bíblia, como:
• “Moisés, eu te envio para libertar o meu povo”;
• “Vai, vende tudo o que têm e dá aos pobres”;
• “amem seus inimigos”;
• “oferece a outra face a quem te bateu;
• e outras.
Pega-se então uma cebola bem grande e bonita, ainda com casca. A cada frase forte que for sendo lida, o participante que leu tira uma casca da cebola. Provavelmente os participantes se sentirão incomodados por abrir a cebola.

Observações: O animador concluí que a cebola é como a Bíblia: para dar sabor à comida, precisa ser aberta e descascada ( o que não é muito agradável). Assim, a Bíblia tem palavras duras que nos fazem sofrer, mas tornam nossa vida mais saborosa e saudável.

 

EM BUSCA DE UM OLHAR

 

Objetivo: Trabalhar o aprofundamento da integração no grupo e exercitar a comunicação não-verbal.

 

Como Fazer: 1. O facilitador solicita ao grupo que todos fiquem de pé em círculo a uma distância razoável.
2. Em seguida, pede-se que a pessoas se concentrem e busquem olhar para todos no círculo.
3. O facilitador poderá escolher uma música sentimental, leve, que favoreça o encontro não-verbal, até sintonizar numa pessoa cujo olhar lhe foi significativo.
4. Ao encontro desses olhares, as pessoas se deslocam lentamente umas para as outras, indo se encontrar no centro do grupo. 
5. Abraçam-se e cada uma irá se colocar no lugar da outra.
6. O exercício prossegue, até que todos tenham se deslocado
em busca de alguém, podendo, ainda, cada pessoa fazer seus encontros com quantas pessoas sinta vontade.

7. Faz-se um momento de oração de “deserto”, ao qual o facilitador interiorize e leve aos jovens a estar em momento de oração pessoal com Deus.

 

Conclusão: Normalmente, essa experiência é de uma riqueza extraordinária. Barreiras são quebradas, pedidos de perdão são feitos, tudo isso sem que se diga uma palavra. Cabe ao facilitador ter sensibilidade para a condução de troca de experiências não verbais. Essa dinâmica também é excelente para encerramentos de atividades grupais em que as pessoas passaram algum tempo juntas

 

TESTEMUNHO DE FÉ

 

OBJETIVO : Mostrar que a fé (e o crescimento nela) é profundamente social.

MATERIAL : Uma bíblia para cada grupo.

 

DESENVOLVIMENTO : O animador orienta os participantes : Na nossa vida cotidiana, nos encontramos constantemente com pessoas que exercem uma influência grande sobre a nossa vida. Esta influência tanto pode ser positiva como negativa. o que se deve fazer diante da consciência desse fato?

Depois disso, cada um, em particular, identifica entre seus amigos, vizinhos, parentes: quantos realmente crêem? Quantos são católicos não praticantes? Quantos mudaram de religião nos últimos tempos? Quantos vivem a fé, apenas seguindo os mandamentos ao pé da letra? Ainda em particular, cada um coloca por escrito os testemunhos de fé que encontrou em sua vida. A respeito de cada testemunho de fé que encontrou, analisar as repercussões que tiveram, dentro de si, mesmo.

Em grupo de 4 pessoas, compartilhar as reflexões pessoais. Trata-se de identificar os elementos comuns. em seguida, lêem os textos : Jo 3,21 - Mt 7,21 - Tg 1,22 - Jo 9,1-38 - Lc 5,5 - Mt 15,21-28.

Aprofundar a relação entre os testemunhos escutados e os textos estudados. Tiram suas conclusões para levar à plenária.

 

Sentindo o Espírito Santo

 

Participantes: indefinido.

Tempo Estimado: 15 minutos.

Material: Uvas ou balas .

 

Descrição: O coordenador deve falar um pouco do Espírito Santo para o grupo. Depois o coordenador da dinâmica deve mostrar o cacho de uva e perguntar a cada um como ele acha que esta o sabor destas uvas.

Obviamente alguns irão descordar a respeito do sabor destas uvas, como: acho que esta doce, que esta azeda, que esta suculenta etc.

Após todos terem respondido o coordenador entrega uma uva para cada um comer. Então o coordenador deve repetir a pergunta (como esta o sabor desta uva?).

 

Mensagem: Só saberemos o sabor do Espírito Santo se provarmos e deixarmos agir em nos.

 

Ser igreja

 

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.

Material: Uma folha em branco para cada um.

 

Descrição: Entregar uma folha de papel ofício para os participantes.

Pedir para todos ao mesmo tempo, movimentar as folhas e observar; todos unidos formarão uma sintonia alegre, onde essa sintonia significa nossa caminhada na catequese, e quando iniciam alguma atividade estaremos alegres e com isso teremos coragem de enfrentar tudo, quando catequizar é nossa salvação.

Mas no decorrer do tempo, as dificuldades aumentaram, ficamos desmotivados por causa das fofocas, reclamações, atritos etc. Com isso surgem as dificuldades, os descontentamentos.

Juntos vamos amassar a nossa folha para que não rasque, e voltaremos a movimentar a folha movimente todos juntos, verificando que não existe a sintonia alegre, agora só resta silêncio.

Pegaremos essa folha, colocando-a no centro da mão e fechando a mão, torcendo o centro da folha, formará uma flor.

Essa flor será nossa motivação, nossa alegria daqui pra frente dentro da catequese.

 

Comentário: É um convite para uma esperança, para que assumamos a responsabilidade de realizar a vida. Todos nós apenas uma parcela pessoal e social, nessa construção de uma humanidade nova? Cheia de esperança e realizações. (leitura  MC 3, 31 - 35).

 

 

Dinâmicas de Espiritualidade  1    2    3

Fale conosco

 

 

 

 

 

Powered By:
Fale Conosco Siga-nos no Twitter Adcione nosso Facebook Comunidade no Orkut Assine nosso Feed!